Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Meu sonho: comi minha prima

Por: taradoporprima - Categoria: Outras

Bem a história que vou contar trata-se de uma história verídica que ocorreu nesse ano. Nunca imaginei que teria um caso com minha própria prima, porém aconteceu. Minha prima, uma loirinha de 1,60, seios médios porém uma bunda espetacular sempre foi meu sonho de consumação. Fomos criados praticamente juntos, porém apesar de toda a minha tara por ela sabia que nunca tornaria meu sonho realidade. E essa minha tara saciava-se com masturbações diárias sempre pensando em come-la um dia. Quando completei 18 anos me mudei de cidade para cursar uma faculdade. Mas sempre q ia pra casa visitar meus pais, via minha prima e meu desejo crescia ainda mais. Mais uma vez abafado por masturbações. Três anos após minha ida para outra cidade minha irmã e minha prima vieram morar comigo. Minha irmã iria cursar faculdade e minha prima fazer cursinho pré-vestibular. Nesses meses que moramos junto minha fascinação e vontade de te-la como mulher aumentou ainda mais. Porém sempre fiquei na minha, com medo de causar algum transtorno na família, ainda mais que seu pai era um grande amigo meu. Outra dificuldade é que minha irmã sempre estava no apartamento não deixando a oportunidade de ficarmos sozinhos. E minha vida continuava assim. Eu vendo ela todo dia de camisolas e roupinhas de dormir e aquele rabão maravilhoso na minha frente. Teve até um dia que entrei em seu quarto para pegar um cd e sem querer dei de cara com ela de calcinha e sutiã passando óleo no corpo. Naquele momento senti um frio no corpo que me deixou louco. Na hora fui pro banheiro e bati uma punheta. Por causa dela já tinha virado um punheteiro profissional. Quando navegava na net lia muitos contos eróticos desse tipo e ficava imaginando se isso nunca aconteceria comigo. Em um outro dia minha irmã teve uma viagem de estudos da faculdade e nos deixou uma noite em casa. Ficamos assistindo televisão deitados no sofá com os corpos colados. Eu ficava imaginando que ela se encostava em mim só pra me provocar, mas quando eu começa a puxar um papo de sexo ela sempre cortava. Nesse dia disse meu tesão era tanto que fui para o quarto e me masturbei duas vezes. E os dias passaram até que minha prima passou no vestibular e mudaria de cidade novamente. Não iria mais morar comigo. Nesse dia as chances de come-la diminuíram consideravelmente. Mas não perdi as esperanças. Depois de alguns meses fomos curtir o carnaval em uma praia perto de nossa cidade. A festa era muito louca, rolava muita bebida, som e lança perfume. Mas minhas primas e minha irmã não usavam isso pois tinham receio, e eu tinha que fazer escondido. E a festa rolava solta até que minha prima me convidou pra dançar. Dançamos de corpo colado um tempo até que não agüentei mais e falei pra ela – Você está vendo como o cara ai debaixo está por sua causa. No primeiro momento ela fez que não escutou mas eu insisti na idéia. Repeti e ela falou – Tais louco. E eu apertando suas coxas contra meu cacete falei – Sente então como ele está duro. Ela sorriu perguntando porque eu tava dizendo aquilo. Eu falei que já fazia um tempão que eu queria dizer a ela o quanto eu era louco por ela, o quanto eu queria beija-la. Então sugeri que saíssemos dali e fomos pra um lugar mais escondido. No começo ela não aceitou mas de tanto insistir ela concordou só que disse que ninguém poderia ficar sabendo. Claro que eu concordei na hora. Sai na frente e esperei ela por alguns instantes. Quando ela chegou aguarrei ela beijando sua boca calorosamente. Chupava seu pescoço de uma forma animal e ela já gemia com uma voz bem suave. Aquilo me deixava cada vez mais louco. Possuído pelo tesão não demorei muito para passar minha mão sobre seu corpo mas ela sempre tirava. Levei ela então pra um lugar mais escondido ainda. Era atrás de uma tenda, um lugar bastante escuro onde quase não passava pessoas. Encostamos na lona e começamos em uma amasso muito caliente. Não agüentando mais tirei meu pau pra fora pegando sua mão e colocando sobre ele dizendo – sente como meu pau ta quente por sua causa. Ela na hora tirou a mão dizendo que se eu fizesse aquilo novamente ela iria sair dali. Como eu não queria perder os amassos concordei e continuamos nos beijando. E fui passando a mão nela por cima da roupa até que ela deixou colocar minha mão sob sua blusinha. Fiquei ali então massageando seus peitinhos durinhos durante um bom tempo. Queria chupa-los mas ela não deixava. Daí perguntei a ela se era virgem ainda e ela fez sinal positivo com a cabeça mordendo seus lábios. Aquilo sim me deixou com tesão. Aproveitando o embalo perguntei se ela não tinha interesse em perder a virgindade com o primão que tanto gostava dela e faria com maior carinho. Lambendo os lábios e com um olhar provocante ela respondeu – Quem sabe? Naquele momento tinha a certeza que iria traçar ela. Não sei se seria ali e se seria o iluminado a tirar seu cabaço, mas sabia que um dia iria traça minha prima gostosa. Ficamos ali numa esfragação fenomenal ate que de tanto roçar meu pau em sua buceta (com roupa mesmo) não agüentei e gozei lentamente. Tinha melecado minha cueca. Virei minha prima de costas e comecei em um movimento como se estivesse comendo ela por trás. Mordia e chupava muito seu pescoço e sua orelha e ela gemia baixinho. Esfregava muito meu pau em sua bunda e sabia que ela adorava aquilo. Depois de um certo tempo voltamos junto ao pessoal para não haver desconfiança. Mais tarde voltamos ao mesmo lugar e continuamos com nossos amassos. Mas naquela noite não passou disso. Chegando em casa fui obrigado e me punhetar novamente. Gozei muito no chuveiro. Depois daquele dia ficamos um pouco afastados um do outro pois agora ela morava em outra cidade. Porém em um final de semana de feriado nos encontramos em nossa cidade e rolou o que eu tanto esperava. Era um sábado a tarde e meus tios tinham ido pra praia deixando minha prima em casa sozinha que iria mais tarde com uma amiga. Naquela tarde fui até na casa dela devolver algumas coisas que minha mãe tinha pegado emprestado, mas não sabia que minha prima estava sozinha em casa. Quando cheguei bati na porta mas ninguém atendeu então resolvi entrar. Andei pela casa e não encontrei ninguém apenas o barulho do chuveiro ligado. Fui até o banheiro e via que a porta tava aberta. Cuidadosamente (pois não sabia quem estava tomando banho) abri a porta e olhei. Dava pra ver a silhueta daquele corpo escutural pelo Box. Era ela, peladinha com aquela água escorrendo pelo corpo. Na hora me bateu o maior tesão. Naquelas circunstâncias meu pau latejava de tanto tesão e minha cabeça imagina coisas múltiplas. Mas pensei – tem que ser agora. Então chamei seu nome com um tom de voz baixo para não assusta-la. Mas mesmo assim ela levou um susto. Falei pra ela que tava ali só pra entregar algumas coisas e como ninguém tinha atendido a porta eu entrei. Daí naquela situação aproveitei pra matar tempo e perguntei pra ela como estava a nova cidade e tudo mais. E ela ficou conversando comigo e tomando seu banho. Via pelo Box ela esfregando sua bunda e sua bucetinha aquilo me deixava maluco. Não sabia se ela estava se lavando ou tocando uma siririca. Não agüentei coloquei meu pau pra fora e comecei a bater uma punheta ali mesmo. Quando ela abre o Box e me pega no flagra – O que é isso? Eu falei que não tava agüentando aquilo e que teríamos que terminar aquilo do carnaval. Quando achava que mais uma vez ela iria recusar ela me olhou e disse – Então porque você não vem aqui tomar banho comigo que eu te ajudado a fazer o que você estava fazendo. Parecia um sonho. Na hora arranquei minha roupa do corpo e entrei no Box. Uma vista espetacular. Aquele corpo perfeito, aquele traseiro animal e aquela bucetinha recém depilada apenas com um filete de pentelhos. Agarrei ela e comecei a beija-la fortemente. Esfregávamos nossos corpos de uma forma selvagem. Comecei a chupar aqueles mamilos duros como nunca tinha mamado antes. E naquele momento ela colocou a mão no meu cacete e começou e me punhetar. Aquilo era um sonho mas eu sabia que tinha muito mais pela frente. Fui mordendo seu corpo por inteiro até chegar em sua xaninha. Chupava seus lábios vaginas e seu clitóris como nunca. Mordia eles como se aquilo fosse meu último momento de prazer. E ela cada vez mais em gemidos e gritos excitantes. Ela pressionava minha cabeça contra sua pomba como se dissesse com gestos – Me chupa mais, mais e mais. Chupei tanto que ela não se agüentou e gozou como uma cavala na minha boca. Dava pra sentir suas pernas bambas. Depois disso olhei pra ela e falei – Agora é sua vez de mamar o priminho. Ela atendeu na hora. Desceu sua boca até meu pau e chupava como uma desmamada. Chupava ele por inteiro e mordida cabeça me deixando cada vez mais louco. Não agüentei muito, segurei sua cabeça e gozei na sua boca pedindo pra que ela engolisse tudinho. E ela atendeu prontamente. Depois daquilo minha priminha olhou pra mim e mordendo seus lábios falou – Agora ta na hora de você tirar aquilo que você queria, meu cabaço. Fiquei maluco. Coloquei ela de costas para mim com as mãos encostadas na parede e fiz ela levantar um pouco seu traseiro. Tentei penetrar sua bucetinha mas era muito apertado. Depois de tantas tentativas consegui penetra-la fazendo o sangue escorrer pelas pernas (logo limpo pela água do chuveiro). Fui fazendo movimentos leves até que com muito tesão a agarrei pelos peitos e ela jogou sua cabeça pra trás deixando nossos corpos colados. Nesse momento comecei a bombar brutalmente sua bucetinha apertada e ela gritando e gemendo – Ai, ai me fode primo, me faz mulher, come a tua priminha aqui, eu sou toda tua viu. Continuamos assim até que gozamos novamente. Ela primeiro, depois eu fazendo suas costas encher-se de esperma. Terminamos nosso banho, nos enxugamos e fomos para o quarto pois havia muita coisa pela frente. Chegando no quarto meu pau já estava pronto novamente. Deitei ela na cama e num estilo frango assado cumi aquela bucetinha novamente. Era muito prazeroso, nossos corpos suados em um vai vem rápido e gemidos excitantes. Depois de muitas bombadas ela pediu que deitasse para que pudesse cavalgar sobre meu cacete. E como cavalgava. Parecia que tinha experiência naquilo. Rebolava muito sobre o meu pau e colocava minhas mãos em seus peitos apertando fortemente. Não demorou muito e senti seu leite quente umedecer meu pênis fazendo com que gozasse também e todo aquele esperma escorreu por nossas coxas. Quando saiu de cima voltou a mamar meu cacete que inacreditavelmente estava duro que era uma estaca. Chupou muito e depois pedi pra pudesse come-la de quatro. Na hora ela se virou arrebitando aquele rabo maravilhoso. Naquele momento cheguei a parar pra pensar quanto tempo tinha sonhado com aquela cena: minha prima de quatro. Daí ela falou – Ta esperando o quê? Mete logo esse seu pau gostoso em mim novamente, fode com a priminha fode, não era isso que você queria? Agora você vai ser o meu homem. Vamos curtir muitos momentos de prazer de hoje em diante. Aquilo me fez come-la mais uma vez como se fosse a primeira. Ficava imaginado quantas vezes ainda iria comer aquela loirinha na minha vida. Em certo momento tirei minha pica de sua buceta e tentei colocar no cuzinho mas ela na hora tirou da reta. Eu tentei insistir mas ela falou que não era hora e que chegaria a hora certa e que teríamos várias oportunidades para fazer aquilo. Terminamos aquela foda gozando novamente e logo depois caímos exaultos. Depois de uma boa descansada nos beijamos muito e tomamos outro banho. Só que esse foi mais light apenas com lambidas e toques. Coloquei minha roupa e fui pra casa sabendo que aquele era o dia mais feliz de minha vida até então. Hoje em dia ainda continuamos nos encontrando. Quando surgi a oportunidade viajo 240 km para a cidade onde ela está morando e saboreio minha priminha deliciosamente. Qualquer dia desses publico o dia em que inaugurei o cuzinho dessa minha prima e na sorte comi sua companheira de apartamento. Foi uma suruba e tanto.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto

foto avatar usuario taradoporprima
Por: taradoporprima
Codigo do conto: 4191
Votos: 1
Categoria: Outras
Publicado em: 12/08/2014

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2019 - zimhow.top - Todos os direitos reservados

Online porn video at mobile phone


contos eróticos com travesticontos eroticos com o paimelhor conto eroticodando pro meu tiocasadoscobtosa casa dos contos eroticosconto porno com fotocontos de zoocasa dos contos erticoscontos eroticos com animaiscontos incestoscontos eróticos de incestoscontos exibicionistacontos eroticos incesto realcasa dos contos eroticos ultimosmelhor conto eroticocasadocontoscontos eroticos ultimoscasadoacontoscontoseroticosincestoscasadoscontos incestoingenua contosúltimos contos gayscontos gay com fotocasa dos contos erticoscontos topcasa dos contos sexocontos de incestos com fotoscontos eroticos casaultimos casa dos contos gaycontos eroticos zofiliacontoeroticos.comsites de contos eroticoscasadosocntoscontos de insextocontos eróticos lésbicasultimos contos de sexo com fotoscontos eroticos fantasiascasa do conto eróticoconto de swingcontos eroticos incestuososcontos de incesto realcontosdecornoscontos eroticos japonesacontos eroticos padresexibicionismo eroticominha filha me seduziucontos eróticos traiçãocasados contoswww.casadoscontoscontos interracialconto erotico comi minha filhacasa dos contos.eroticoscontos eróticos bizarroscasa dos contos eroticos lesbicoscontos eróticos sadomasoquismoconto erotico lesbicasconto cuckoldcasadoscotoscontos eroticos com vizinhascasa doscontos eróticoscontos eróticos lesbicoscasa dos contos lesbicascorno manso contoscontos eróticos sadomasoquismocasa dos contos eroticisultimos contos eróticos gaynovos contos de incestoincesto conto eroticome comeram no onibuscadadoscontosesposa contoscontos categorias