Esqueceu a sua senha? Clique Aqui

Principal Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco
Categorias Ultimos Contos Melhores Enviar Contos Painel Cadastro Fale conosco Login

Infidelidade

Por: Contoseroticos101 - Categoria: Traicao

Esta é uma história contada em duas visões, das quais sugeri ao Matthew, numa visita a minha casa, que se caso acertasse a cor da minha roupa íntima, ele teria direito a tirar uma peça de roupa minha qualquer, em uma conversa por whatsapp onde apenas nos provocávamos, porém, fui surpreendida quando ele me visitou na casa do meu noivo, pegando-me somente de roupas de dormir e aproveitando-se da ausência do meu noivo, acabou acertando a cor da minha lingerie!

Matthew:- Ótimo. - Disse, com um sorriso malicioso estampado no rosto e uma feição cínica e pervertida, meus olhos percorrem todo seu corpo, derrapando lentamente em cada curva do mesmo como se analisasse e desejasse cada milimetro do mesmo. - Já sei bem por onde começar. - Concluí, aproximando de ti em passos rápidos e envolvendo-a pela cintura. Conduzo-a com meu corpo prensado ao teu até a cama, de modo que pudesse sentir o calor do seu ser e seus fartos seios prensados ao meu peitoral, durante o trajeto decido abusar de beijos e leves chupadas em sua nuca, afogando meu rosto em seus cabelos cheirosos e deslizando a ponta da minha língua sobre sua pele quente. Derrubo-a na cama com um pouco de força e me encaixo parcialmente entre suas belas pernas, com o auxílio de uma das mãos, desabotoo seu shortinho e deslizo minhas mãos para o volume delicioso da sua bunda, apertando-a com força e puxando-a contra meu rosto, forçando vagarosamente seu shortinho para baixo enquanto mordo a costura do mesmo e vou puxando-o para trás, trazendo-o comigo e permitindo que ele deslize por sua bunda empinada e coxas fartas devagar.

Hebe: Suspiro profundamente, enquanto cada centímetro do meu corpo arrepia em resposta ao toque de tuas mãos quentes e macias. Os meus shorts deslizam por minhas pernas e revela uma calcinha minúscula avermelhada de renda, com bordados feito à mão. Embora no fundo saiba que o bordado pouco importa, passa despercebido. - Digamos que ainda te devo um beijo - Falo num sussurro enquanto seguro em tua nuca e entrelaço meus dedos finos no seu cabelo. Te puxando para perto de mim.

Matthew: - Assim que seu short passa pelos teus pés, aprecio a vista da tua minúscula calcinha socada em tua intimidade, percebo o quão bem cuidada e depilada estava após sair do seu banho e a forma provocativa com a que escolheu sua roupa íntima para aquela ocasião. Sou surpreendido com sua frase enquanto me puxa para perto de ti e correspondo ao teu beijo, voltando a envolvê-la com ambos os braços ao redor da sua cintura e puxando-a mais uma vez contra meu corpo. Entrelaço minha língua a sua de modo cobiçado, meu anseio por aquele beijo estava nítido em meus toques e na respiração que agora se encontrava pesada. Sem dizer nada, puxo-a para meu colo na cama e me deito, deixando-a por cima de mim e no comando de toda aquela situação. Minhas mãos apertam e deslizam por sua bunda deliciosa, tal qual imaginei fodendo de costas na conversa mais cedo e meu caralho pulsando contra sua intimidade por cima da minha calça.

Hebe: - Sem pestanejar e estando no comando de toda situação, te beijo com desejo enquanto vou tirando de forma desajeitada a tua camisa. Dou um cheiro intenso no teu pescoço e subo um pouco mordiscando sua orelha e te fazendo arrepiar. Em cima de ti, consigo sentir o teu membro latejar por baixo de teus shorts e só pra provocar rebolo devagar por cima da tua roupa. Sigo roçando lentamente em ti, acariciando o teu peito nu e beijando tua boca como quem tá louca para saciar a sede. Mordo teus lábios entre-beijos e sinto meu coração pulsar em ritmo acelerado, ao passo que minha respiração fica ofegante.

Matthew: -Um sorriso malicioso expande pelo canto esquerdo do meu rosto ao te ver entregue daquele jeito, suas reboladas deliciosas em minhas mãos e sobre meu caralho faziam ele pulsar e marcar com volume e porra minha calça. Seus lábios em minha orelha faziam meu corpo arrepiar e um breve gemido rouco e curto de prazer escapar dentre meus lábios. - Eu sei que você gosta. - Disse, em tom provocante. Ergui parcialmente meus braços ajudando-a a livrar-se da minha camisa e logo volto com minhas mãos a barra da tua blusa, seguro-a com firmeza e a puxo pra cima com um pouco de força, retirando-a com certa pressa de modo que seus seios fartos e suculentos saltassem quase em minha cara com o movimento. Jogo sua camisa longe do quarto tendo você somente com a lingerie que reservou especialmente para mim naquela noite e me viro na cama, derrubando-a e me encaixando novamente por cima de ti, retomando o controle da situação. - Espero que tenha aproveitado. - Provoquei, caindo de boca no colo dos teus seios, beijando e chupando sua pele e invadindo seu sutiã rumo ao bico enrijecido dos teus seios, movimentava meu quadril num leve vai e vem, fazendo toda a extensão do meu cacete deslizar contra sua bucetinha de modo que a cabeça inchada do meu caralho ficasse pressionada contra seu grelhinho por cima do pano minúsculo da tua calcinha.

Hebe: - Te ouvir gemer fez o meu tesão, que já estava em um nível altíssimo, multiplicar 10 vezes mais. Sorri sem jeito, hesitando e pensando se deveria ter te falado, agora poderia abusar de uma das minhas fraquezas. Não me entreguei aos pensamentos e sim, fui me entregando completamente a você. -faz o que tu quiser comigo - disse com uma voz ofegante e sedenta. Soltei gemidos inevitáveis ao sentir tua língua quente tocar o os meus mamilos, ao passo que minha calcinha molhava de uma forma inédita. Entrelaço minhas pernas no teu quadril e te seguro firme a minha frente, sentindo nossos corpos suando e grudando.

Matthew: - Ouço tua voz ofegante e sexy, clamando por mim e aquilo me deixava louco. Seu corpo delicioso prensado e levemente esfregado ao meu ao ritmo dos nossos movimentos. Seus gemidinhos deliciosos escapando dos teus lábios e dando melodia a aquele momento. Desço meus movimentos, deixando seus fartos seios ainda presos ao sutiã e vou beijando sua barriga, pelo trajeto vou deixando algumas chupadas fortes e longas, junto a leves mordiscadas e minha língua passeando por tua pele quente. Suas pernas me seguravam de uma maneira tentadora, o que me fez retomar com o sorriso sádico explicito em meu rosto. Seguro as laterais da sua calcinha minúscula com ambas as mãos e as deslizo fortemente para baixo, quase arrancando-a de teu corpo até ter sua bucetinha ensopada diante dos meus olhos. - Assim fica bem melhor, agora, livre-se disso. - Acenei com o rosto e um olhar maldoso para o seu sutiã, mesmo sabendo que havia reservado para aquela noite em especial. Ao jogar sua calcinha no chão, volto com minha mão num tapa forte a lateral do seu quadril e colo imediatamente meus lábios em seu grelhinho inchado e pulsando, passo a ponta da minha língua sobre o contorno dele e logo começo a provocá-la, deslizando-a suavemente, prensando a ponta da mesma contra seu clitóris e aproximando minha mão vaga da sua grutinha, pincelando a ponta de dois dedos a entrada da mesma e ameaçando invadi-la.

Hebe: - Nada do que já tivesse visto antes se comparava a cena de te ver deslizando sobre meu corpo com tua boca. Cada toque longo e cada pausa que você dava sobre minha barriga, traçando o caminho da perdição, fazia com que meu corpo se contraísse de desejo. Eu estava em êxtase, te olhando com ambição e acariciando os teus cabelos. Correspondo a tua ordem quase que imediatamente e tiro apressadamente a única peça de roupa que ainda restava, o meu sutiã. E como quem não podia acreditar que todo aquele prazer poderia ficar maior te sinto me chupar inteira entre minhas pernas e, sem saber se era apropriado, solto um palavrão junto com um gemido um pouco mais alto que os anteriores. -PQP!

Matthew: - Ouço teu palavrão junto as leves contorcidas que seu corpo dava, apreciava a sagacidade que teve para se livrar do sutiã e soltar seus deliciosos seios para fora, fartos e delicados, com os bicos enrijecidos e rosados. Meus estímulos em teu grelhinho tomam um ritmo frenético, passeava com minha língua sobre ele de modo ainda mais intenso, prensando-a, roçando levemente minha barba por fazer a tua virilha e coxas. Trepidava a língua afim de moldar o seu prazer naquela noite e agora socava meus dedos ao fundo de ti, em um movimento rotacional, estimulando teu clitóris com a ponta dos dedos internamente e puxando ainda mais teu corpo contra o meu. Meu cacete quase saltava para fora da cueca e uma marca de porra manchava minha calça demonstrando todo meu prazer. Com a ponta do polegar, ia brincando com a entrada do teu rabinho, sentindo-o pulsar junto ao teu prazer. - Rebola pra mim, putinha! - Ordenei, aplicando mais um tapa forte a lateral da tua bunda carnuda e deliciosa, desta vez deixando a marca da palma da minha mão sobre ela. - Rebola como não faz pro teu corninho.

Hebe: - A sensação que você causa é inexplicável. Estou eu completamente entregue, incapaz de soltar algo mais que gemidos abafados e proibidos. Enquanto o meu tesão aumenta e fico cada vez mais encharcada por ti e conforme brincava comigo, preencho minhas mãos com os meus próprios seios, atenta e entregue a cada sensação que você me causa. Meus pés bobos vão subindo pela tua coxa, almejando sentir o teu volume e ameaçando te masturbar com eles. Vou deslizando o teu short para baixo e audaciosamente consigo acariciar teus colhões com a ponta dos meus dedos. E em uma atitude submissa correspondo a mais uma ordem tua e rebolo devagar na tua boca, acompanhando os movimentos circulares da tua língua. Teu tapa marca de vermelho a minha pele do glúteo e o meu gemido é evidente, enquanto melo tua boca com mais baba minha. Chego a querer implorar para te sentir dentro de mim. - Nossa, que tesão, vem meter gostoso comigo e acaba comigo. Caralho.

Matthew: - Sinto o toque delicioso dos dedos do seu pé delicado começar a me estimular e lanço um olhar cobiço para você e me deparo com a cena deliciosa de você própria estimulando seus seios e brincando com eles enquanto abuso da sua bucetinha. Sua frase ofegante e em tom de ordem alimentam ainda mais o meu desejo, me ergo rapidamente ao pé da cama e num gesto rápido retiro minhas últimas vestimentas, fazendo meu caralho saltar para fora bem próximo a ti. - Você quer ser fodida, cadela? Então mama bem gostoso meu caralho antes! - Ordenei, aproximando novamente de ti e o segurando pela base, levando-o a direção do rosto com a cabeça dele inchada e toda melada devido ao estado em que ele se encontrava na calça pelo prazer que você me proporcionava.

Hebe: - Sem hesitar, começo a te chupar com avidez enquanto pego na base do teu pau e sincronizo o movimento da minha boca com a minha mão, misturando uma felação com uma masturbação. Paro por uns instantes para observar a tua feição e te encaro com olhar safado, e ainda te olhando vou passando a minha língua quente em movimentos circulares ao redor da cabecinha melada. Depois lambo por toda extensão e sigo te colocando inteiro na boca. Aperto tua bunda contra mim e chego a encravar levemente as minhas unhas de comprimento mediano nos teus glúteos. Teu membro chega a tocar o meu sino, e uma lágrima inevitável rola na minha face, porém insuficiente para me fazer parar. Passo a te chupar freneticamente e os movimentos vão ganhando força e velocidade

Matthew: - Quando seus lábios deliciosos tocam meu caralho a minha cabeça é involuntariamente tombada para trás levemente, um gemido rouco e longo dessa vez escapa dos meus lábios e logo sinto sua língua deliciosa percorrer a extensão do meu cacete. Uma de suas mãos estimulam a base do meu mastro e fazem ele pulsar ainda mais forte a sua boca, quando suas unhas cravam em meu quadril e você o atola em sua garganta me arrancam um urro alto de prazer. - Isso, caralho, que delicia! - Deixo escapar esta frase ofegante e alta, conforme sua chupada adquire um ritmo frenético e intenso, meus suspiros altos tornam-se ainda mais frequentes. - Mama de quatro, vai! - Supliquei, totalmente me entregue a você.

Hebe: Eu poderia sentir um rio jorrar de mim e ansiava para te sentir dentro de mim, com uma certa urgência. Ainda assim, obedeci, sem tirar a minha boca de você e me sentindo a maior e melhor safada, fico de quatro e empino a bunda para trás. A minha silhueta ganhava forma no meio da pouca luz do ambiente. -Goza pra mim, gostoso! Tarado!- Eu pude dizer entre um chupão e outro. Continuei de maneira inquieta, enquanto minha mão direita explorava a tuas bolas e deslizava sobre teu corpo.

Matthew: - Observava você se posicionar enquanto me mamava com maestria, via nos seus olhos o quão aquela situação te deixava excitada e meu prazer era nítido conforme meu cacete pulsava na sua boca com seus deliciosos movimentos. Um sorriso sádico reapareceu no canto esquerdo do meu rosto e fitava com um olhar cobiço seu rabo delicioso e empinado, seu corpo desejando ser penetrada e aquela sua massagem deliciosa ao som das estaladas das suas chupadas realmente deixavam meu orgasmo próximo. - Quer que eu goze, putinha? Vou te encher te porra essa noite. - Provoquei, retirando completamente meu caralho de perto de ti e caminho para trás de você, me posiciono prontamente colada em teu rabo delicioso e empinado e conduzo a cabeça do meu mastro a entrada da sua buceta suculenta, deslizo-o rapidamente para o fundo de ti, rasgando-a com brutalidade até minhas bolas socarem em tua bunda e meu cacete atolar-se dentro de ti.

Hebe: - Limpo o excesso de baba da minha boca no momento que tira o seu pau de mim e observo cada movimento seu, completamente entregue a você. Fito a forma do teu corpo e os teus trejeitos enquanto se dirige à minha parte de trás. Empino ainda mais a bunda, facilitando o teu encaixe em mim e entro em êxtase profundo ao te sentir entrar, deslizando fundo em mim. Jogo meu cabelo pro lado e te olho de perfil, mordiscando meus lábios como um gesto de muito tesão, ao passo que rebolo a minha bunda e acompanho os teus movimentos. - PQP! Me fode gostoso e me chama do que tu quiser. - Falo entre um gemido e outro.

Matthew: - Aplico mais um tapa forte em sua bunda, deixando-a marcada desta vez do outro lado, com minha mão vaga, enrolo-a em seus cabelos e puxo vagarosamente para trás, de forma que sua bunda e corpo fossem jogados contra minha virilha e empinasse ainda mais o teu ser, permitindo-me ver seus seios balançarem a cada estocada profunda em que arrombo tua buceta. - Então rebola vai, gatinha. Rebola na tua posição e pica favorita! - Ordenava, em tom ofegante, meu caralho deslizava e afundava dentro de ti freneticamente, com minha mão que antes usava para te estapear, levo a ponta do meu polegar para o teu rabinho e volto a estimula-lo com a ponta do dedo, chegando a metê-lo levemente a medida que as medidas tornam-se ainda mais intensas e profundas. Meu caralho latejava e abusava da sua buceta encharcada, jogando o excesso de goza e mel para fora e espalhando em sua bunda e virilha. - Eu to quase gozando pra você!

Hebe: - Caralho! Eu também não vou aguentar por muito tempo. Goza junto comigo, vai! Não para, não- Falo vagarosamente, como se as palavras se forçassem para serem ditas entre gemidos. Meu corpo sua cada vez mais e conseguimos basicamente colar a minha bunda em teu quadril. Meu corpo está em êxtase, chegando ao ápice. Minha perna parece ter vida própria e se contorce involuntariamente. Depois trava e sinto meu corpo se desmontar por completo, deixando somente a bunda empinada. Em resposta a onda maluca de prazer, aperto o lençol a minha frente, e deixo escapar quase que um grito.

Matthew: - Sinto seu corpo ser jogado com força contra o meu, a forma com que você grita e se agarra ao lençol, sua buceta se contrai e pisca em meu caralho que lateja compulsivamente dentro de ti, um arrepio percorre todo meu corpo, meus movimentos tornam-se frenéticos e involuntários, soco violentamente meu cacete ao fundo da tua bunda gostosa bem como estímulo teu rabinho com o polegar, um gemido longo e falhado escapa dos meus lábios e meus movimentos tornam-se brutos, intensos e profundos, em estocadas falhadas no ritmo devido ao meu atual estado. Começo a gozar e inundar sua bucetinha com minha porra quente, jorrando ao fundo de ti, seguro com força em seu quadril e me desabo sobre teu corpo, prensando meu cacete com força ao fundo de ti enquanto sinto suas contrações junto a mim. - Puta que pariu, que delicia de garota.

Este conto foi inspirado na role-play erótica do simulador de vida chamado Popmundo.

Comentarios
Seja o primeiro a fazer um comentario nesse conto.
Comente esse conto abaixo

(Numero maximo de caracteres: 400) Você tem caracteres restantes.

Desejo registrar meu voto junto com o meu comentario:


Ficha do conto

foto avatar usuario Contoseroticos101
Por: Contoseroticos101
Codigo do conto: 17356
Votos: 0
Categoria: Traicao
Publicado em: 06/11/2019

×

OPS! Para votar nesse conto voce precisa efetuar o login


Este site contém contos eroticos, fotos e videos destinados exclusivamente ao público adulto.
Ao acessá-lo, você declara que tem no mínimo 18 anos de idade e que no país onde você esta acessando esse conteúdo não é proibido.
© 2005-2019 - zimhow.top - Todos os direitos reservados

Online porn video at mobile phone


conto erótico 2018casadoscontoscasadoscontoscasa dos contos lesbicascontos eróticos casaconto eróticos zoofiliacontos eroticos ilustradosprazeres insanoscsa dos contoslesbicas casa dos contos eroticoscasa dos contos estuproconto erotico cornoingenua contoscontos da tifanyultimos contos eróticoscasadoscontos incestocontos eróticos cornosconto erotico traiçãocontoseroticoscasados contos eróticoscontos eroticos de zoofiliacontos eroticos categoriacontos eroticos mae e filhocasa de contos eroticoscomi minha prima contos eroticosincesto mae e filho contoscomendo a prima contoconto erótico traiçãocontos eroticos de sadomasoquismocontos eroticos de crentecasa dos contos eroticos incestorelatos eroticos com fotosúltimos contos eróticoscontos eroticos heterocasa dos contos ercontoseroticosincestocasa dos contos pornocontos casa de swingcasacontoseroticoscasa dos contos ercasadoscontcontos cuckoldcontos de crossdresservirgensinhaa casa dos contos eroticoscontos eróticos casacasadoscomtoscontos eroticos por codigocasadoscontos.com.brcontos eróticos 2015contos eroticos bissexuaiscasa doa contos eróticoscontos eroticos com fotocontoerotico ultimoscontos eróticos ilustradosultimos contos de sexo com fotosfamilia incestuosa contoscasa dos contos pornocontos gay fotoscontos gay com fotocasasdoscontoscontos eróticos últimoscsa dos contoscontos eróticos comi minha filhacontos incesto mae e filhoa casa dos contos eroticoscontos eroticos de zoofiliacunhada safada contoshistorias de incestocontos eroticos fetichecontos eroticos 2015ultimos casa dos contoscasa dos.contos.eroticoscontos de incesto 2016casadoscontos eroticoscontos de incesto recentescontos topcasa dos contos eroticos incestovirgensinhacontoerotico incestocassdoscontoscontos de sadomasoquismocasa dos contos eroticos ultimoscontos eróticos sadomasoquismocasadoscontos eroticossite contos gaycasa dos contos erotocoscontos eróticos zoocontos eroticos por categoriascontos eróticos atualizadosconto erotico por categoriacontos erotico 2017contos eróticos de lésbicascontos eroticos casal bicontos eroticos com fotos por categoria